Quando reclamar passa a ser um hábito.

Há vários sentidos para a palavra reclamar. Pode se referir a uma queixa sobre algo ou alguém; um lamento de uma dor ou um sentimento; pode ser uma reivindicação, uma solicitação ou um pedido insistente, ou ainda, uma crítica para apontar o defeito de alguém ou de alguma coisa.

Reclamar é um direito de todos, e é muito saudável saber se posicionar em relação ao que não se concorda.

Mas, para fazer uma reclamação de modo consistente deve-se observar três aspectos:

  1. O uso correto das palavras e argumentos.
  2. O momento propício.
  3. O melhor jeito de falar para a situação.

Isso exige cuidado e domínio de várias habilidades de comunicação. Afinal, saber reclamar é um exercício de coerência, assertividade e de posicionamento.

Mas nem sempre uma reclamação acontece pelo desejo de resolver alguma coisa. Em muitos casos, por características de personalidade ou de temperamento, reclamar passa a ser um hábito.

A reclamação no cotidiano:

Você conhece ou convive com alguém que reclama de tudo?

Sabe aquela pessoa que quando alguém faz alguma coisa diferente do esperado, a reclamação é imediata, acompanhada de um tom de voz irritado?

Para deixar ainda mais claro, dou um exemplo da vida real:

Talvez você conviva com um “reclamão” ou uma “reclamona” que sempre que vai a um restaurante, reclama que a comida nunca está boa, o atendimento não foi bom…

Já no trabalho, para o “reclamão” ou “reclamona” ninguém é comprometido como deveria. Ao entrar em um novo ambiente, em poucos instantes a atenção vai para um defeito na parede, no teto, na cadeira, etc.

Quem reclama considera que sempre está com a razão. 

O problema sempre é do outro.

E, ao invés de agir, espera a solução.

Pessoas assim impactam fortemente a vida de quem convive ao seu redor. 

Não há dúvida que o dia a dia é cercado de possibilidades de reclamações. Se a escolha for reagir negativamente em todas as situações, a somatória de tudo torna a vida estressante, sem saída. 

Dentre as inúmeras possibilidades de contornar uma situação, quem tem o hábito de reclamar, o faz sem cerimônia, tornando o dia de quem está ao redor muito mais pesado e cansativo.

O problema é que quem reclama geralmente não percebe que tem alguma coisa errada na forma de agir e de encarar as situações. Talvez, precise de ajuda profissional para encontrar uma forma mais leve e saudável de viver e de lidar com o que o/a desagrada.

Como lidar com uma pessoa que reclama de tudo?

Quem convive com “reclamões” e “reclamonas” precisa aprender a se blindar para não se tornar refém das reclamações e sentir a vida impactada por elas.

Por isso, é importante impor alguns limites e sem hostilidade, ajudá-los a perceber a presença desse hábito. Algumas perguntas podem ser úteis, como por exemplo:

  • “Por que você está falando comigo dessa forma?”.
  • “Tenho percebido que você tem me criticado com alguma frequência. Como podemos melhorar isso?”.
  • “Vejo que você não anda se sentindo muito bem ultimamente. Posso lhe ajudar de alguma forma?”.

Ou seja, você precisa tentar ajudar naturalmente, sem reagir ao incômodo que uma reclamação provoca.

Quando reclamar passa a ser um hábito de um colega de trabalho, lembre-se que:

quando-reclamar-vira-um-hábito-cida-stier

Assista à live que fiz sobre o tema:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *